spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Moro e a Lava Lama

Ora ora ora, não que a casa tenha caído, mas as estruturas estão abaladas. O herói da grande mídia de tempos não tão longínquos, e agora silenciosos, se afunda num mar de denúncias sem fim, que vão de vantagens financeiras a interesses políticos. Sabe-se lá o que mais pode vir à tona. Talvez algum departamento de justiça estrangeiro e grandes corporações multinacionais possam contribuir. Acho que não. Os podres virão de peixes pequenos falantes. Esse fio de linha sendo bem puxado pode virar um grande novelo de conspiração, digno daqueles filmes B com agentes secretos de centrais de inteligência.
A denúncia de Rodrigo Tacla Duran,  ex-advogado da Odebrecht, na 13a Vara Federal de Curitiba, ao juiz Eduardo Appio, herdeiro dos processos da Lava Jato, atinge em cheio o teatro de organogramas e atuações pseudojuridicas de Moro, Dallagnol e sua “extorquipe”.
Ele acusou Sergio Moro e Deltan Dallagnol de tentar extorqui-lo em 5 milhões de dólares, para que ele não fosse preso e mantivesse parte de seu dinheiro depositado no exterior. O pedido de extorsão foi feito por Carlos Zucolotto, sócio de Rosângela Moro, esposa de Sergio Moro, através de uma mensagem do aplicativo Wicr Me.
Duran contou ainda que um dos cabos eleitorais de Sergio Moro em 2022, Fabio Aguayo, e hoje seu assessor no Senado, e Orlando Zucolotto, procuraram-no no Sindicato de Hoteis de São Paulo, onde ele era vice-presidente, para reforçar a extorsão e tentar coagi-lo a contratar o “escritório de Moro” (como o juiz do caso pode ter um “escritório”?).
Tacla Duran apresentou prints, vídeos, fotos, áudios e testemunhas no depoimento. A sujeira que a lava-jato não lavou espalhou-se pelas redes sociais de forma rápida, ignorando a quietude da mídia tradicional.
Assim seja. O senador, ex juiz e ministro de Bolsonaro Sergio Moro, aliado ao ex promotor e deputado Dallagnol, exterminaram milhões de empregos, arrasaram empresas importantes para o desenvolvimento do Brasil e quase destruíram o mais importante partido progressista da América Latina, prendendo ilegalmente uma das mais importantes lideranças políticas do mundo. Uma tramoia criminosa que resultou no circo dos horrores dos últimos quatro anos de nosso quase destruído país. Definitivamente, não precisamos de lava jatos, precisamos de lava lamas.
Foto: ABR | Reprodução
spot_img
Ricardo Azambuja
Ricardo Azambujahttps://realnews.com.br/author/rica/
Jornalista e bancário, formado em Economia na UFSC, com pós-graduação em Ecologia e Cinema. Trabalhou como repórter, redator e subeditor de Variedades no jornal Diário Catarinense e escreveu matérias sobre politica para o blog O Cafezinho

LEIA MAIS

- Conteúdo Pago -spot_img